O Dia Nacional da Luta Contra a Obesidade

A obesidade é definida como “uma situação em que existe uma acumulação excessiva de massa gorda corporal, com potencial impacto negativo na saúde”. É uma doença crónica e representa um fator de risco para o desenvolvimento de outras doenças crónicas. É um dos principais problemas de saúde pública atualmente devido à sua crescente prevalência.

Segundo os resultados apresentados pelo Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física, a prevalência de excesso de peso afeta cerca de 25% das crianças e adolescentes portugueses, mais de 50% da população adulta e cerca de 80% de idosos com idade ≥ 65 anos.

É por isto importante, para além de apostar em medidas de prevenção, assegurar o tratamento nutricional na obesidade. A prevenção passa pela promoção de hábitos de vida saudáveis como a atividade física e hábitos alimentares equilibrados.

Esta crescente prevalência da obesidade está associada com o risco acrescido de diversas comorbilidades como a diabetes tipo 2, dislipidemias, insuficiência respiratória, doenças cardiovasculares e doença da vesícula biliar. Para além do impacto físico a obesidade também afeta o funcionamento psicológico dos indivíduos.

A obesidade representa um declínio significativo na condição clínica da população com grande impacto no sistema de saúde e com um aumento crescente da mortalidade precoce.

Quais os melhores indicadores para avaliar e classificar a obesidade? Para que ocorra uma avaliação precisa, deve-se utilizar métodos de avaliação direta da proporção de massa gorda corporal como por exemplo a bio-impedância. No entanto, nem sempre é possível utilizar estes equipamentos devido ao seu elevado custo económico.

Na ausência dos métodos acima indicados, o índice de massa corporal(IMC) é o mais utilizado para classificar o estado nutricional e representa a razão entre peso e o quadrado da estatura (Tabela 1).

Tabela 1. Classificação do IMC em adultos ≥18 anos

Classificação                           IMC Risco de comorbilidades
Baixo peso                             <18,5 Baixo (mas o risco de outras complicações clínicas está aumentado)
Eutrofia                              18,5 – 24,9 Normal
Pré-Obesidade                     25 – 29,9 Aumentado
Obesidade Grau I                 30 – 34,9 Muito aumentado
Obesidade Grau II                35 – 39,9 Severo
Obesidade Grau III                  ≥ 40 Muito severo

Por forma a realizar uma avaliação adequada e a identificar a excessiva acumulação de tecido adiposo, deve-se recorrer ao perímetro da cintura para que se possa avaliar o risco metabólico (Tabela 2).

Tabela 2. Perímetro da cintura por género e risco de complicações metabólicas associadas à obesidade.

Risco de complicações metabólicas         Perímetro da cintura(cm)
  Homens                         Mulheres
Risco aumentado ≥94                                   ≥80
Risco elevado ≥102                                 ≥88

Em conclusão, como podemos verificar a obesidade continua a aumentar e é necessário atuar no seu controlo. Se sente que apresenta excesso de peso, consulte um nutricionista uma vez que este é o profissional mais indicado para o orientar no processo de perda de peso.

Referências bibliográficas:

  1. Obesidade: otimização da abordagem terapêutica no serviço nacional de saúde – Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável. DGS 2017.
  2. Lopes C, Torres D, Oliveira A, Severo M, Alarcão V, Guiomar S, et al. Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física (IAN-AF), 2015-2016. Parte II. Apresentação Sumária de Resultados [versão 1.0 março, 2017]. Porto; 2017.
  3. Obesity: Preventing and managing the global epidemic. Geneva: WHO; 1997.
  4. Gray D. Diagnosis and prevalence of obesity. Med Clin North Am. 1989;73(1):1–13.
  5. Diet, Nutrition and the Prevention of Chronic Diseases. WHO. WHO, editor. Geneva: WHO; 2003.
  6. Clinical Guidelines on the Identification, Evaluation, and Treatment of Overweight and Obesity in Adults. The Evidence Report. NIH. NIH, editor. NIH; 1998.
  7. Doll HA, Petersen SE, Stewart-Brown SL. Obesity and physical and emotional well-being: associations between body mass index, chronic illness, and the physical and mental components of the SF-36 questionnaire.

Equipa Slim7
Filipe Rebelo – Nutricionista Estagiário

Post by Mario Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *